Universidade Federal de Santa Catarina – Centro de Curitibanos

Arquivo para outubro, 2011

10 práticas sustentáveis

Fazendas apostam na agricultura de baixo carbono e provam que é possível produzir alimentos, fibras e energia e obter lucro com pouco impacto ambiental.

Produzir alimentos suficientes para uma população estimada em 9 bilhões de pessoas em 2050 e ao mesmo tempo preservar a natureza é o grande desafio da agricultura mundial deste século. Pelas estimativas da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o mundo terá de aumentar em 70% sua produção agrícola nos próximos 40 anos para evitar uma grave crise alimentar e a escalada da fome.

Na avaliação de representantes do agronegócio brasileiro, é importante que o setor transforme as questões ambientais em uma agenda positiva em favor de uma produção mais eficiente, de maior qualidade e capaz de limitar a expansão das fronteiras agrícolas. Com os novos tempos, produtores brasileiros, que nas últimas décadas investiram na formação de uma agricultura especializada, devem encarar como oportunidades de negócios a recuperação de áreas de proteção ambiental e os investimentos na diversificação de suas propriedades.

A transição para uma economia de baixo carbono é complexa e, por tal motivo, deve fazer parte das ações tanto da iniciativa pública quanto da privada. O Brasil, que há décadas assumiu a condição de celeiro do mundo, tem um papel importante nesse novo cenário da agricultura mundial, que será pautado pelo aumento da demanda por alimentos e pelas restrições ambientais à abertura de novas áreas agrícolas. Cabe ao país a responsabilidade, atribuída até mesmo pela FAO, de aumentar em 40% sua safra até 2050. E o Brasil reúne todas as condições para cumprir essa meta, dando as respostas que o mundo espera de nós.

A semente dessa nova revolução agrícola já foi semeada por aqui e alguns agricultores saíram na frente implantando técnicas de cultivo e de criação produtivas e sustentáveis. Mas ainda temos um longo caminho a ser percorrido, que vai exigir dos produtores muita garra e, principalmente, investimentos em tecnologia e inovação.

Acesse este link para visualizar as 10 práticas sustentáveis:  http://revistagloborural.globo.com/Revista/Common/0,,EMI270201-18282,00-PRATICAS+SUSTENTAVEIS+TRECHO.html

Anúncios

No PR, agricultor usa criatividade para facilitar o trabalho no campo

Em São João, sudoeste do Paraná, falta força para o agricultor Ronaldo Herzog, de 60 anos, carregar nas costas o trato para o gado. Para isso, ele engenhou uma carreola feita com tambor de plástico que só precisa de um empurrãozinho.

Se o corpo já não ajuda mais, a criatividade vai longe. A esposa, Melida Herzog, não conseguia mais levar os 50 litros de leite para o resfriador, mas o marido deu um jeito. Uma rampa de madeira e um carrinho fazem o transporte e facilitam o trabalho.

São muitas as engenhocas que Ronaldo já inventou, mas a mais importante para o sítio é uma cortadeira motorizada, que desde que começou a funcionar, nunca mais o agricultor precisou de força no braço para cortar o pasto para o gado.

Assista ao vídeo com a reportagem completa e veja como funciona o equipamento.

http://g1.globo.com/economia/agronegocios/vida-rural/noticia/2011/10/no-pr-agricultor-usa-criatividade-para-resolver-os-problemas-da-propriedade.html

Por: Antonio Coelho, Henrique Pocai.


Agroindústria familiar


Tecnologia permite a produção de tomates sem resíduos de agrotóxicos

Foi lançada nessa terça-feira (18), no município de São Sebastião do Alto, região serrana do Rio de Janeiro a tecnologia que permite cultivar tomates sem resíduos de agrotóxicos. Com manejo diferenciado, o sistema de produção denominado Tomatec, foi desenvolvido pela Embrapa Solos e está sendo cultivado por pequenos agricultores da região, segundo a notícia, o tomatec pode ser utilizado por qualquer variedade de tomate, por ocorrer o ensacamento das pencas, que garante que o fruto não fique contaminado por pragas nem por resíduos.

Continue lendo: http://revistagloborural.globo.com/Revista/Common/0,,EMI273458-18077,00-TECNOLOGIA%20PERMITE%20A%20PRODUCAO%20DE%20TOMATES%20SEM%20RESIDUOS%20DE%20AGROTOXICOS.html


10º Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (S.E.P.E.X)

Está ocorrendo no Campus da Trindade em Florianópolis a 10º Sepex (Semana  de ensino, pesquisa e extensão da UFSC), vai até o dia 22 neste sábado;   Nesta feira está ocorrendo a apresentação de diversos projetos, desde a área de Ciências Exatas até  Biológicas, envolvendo também apresentações culturais, como rodas de capoeira, leituras de contos para crianças, diversas palestras e debates.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Um dos eventos paralelos é a 6º Feira Estadual de Ciências e Tecnologia, onde estudantes do ensino fundamental, médio e profissionalizante de Santa Catarina apresentam seus projetos de pesquisa.

Outro evento paralelo que vale a pena conferir é a exposição “Fritz Müller: O príncipe dos observadores” que está sendo exposto no prédio da reitoria


Logo do Curso de Ciências Rurais


Chapecó será cidade-piloto do Programa de Inclusão Digital no Meio Rural

                   No perímetro urbano da maioria das cidades brasileiras a internet não é novidade. As comunidades rurais, porém, ainda sofrem com o elevado custo para implantação e manutenção da telefonia fixa e internet. Pensando em ampliar a oferta destes serviços no interior dos municípios catarinenses, a Secretaria da agricultura e da Pesca de Santa Catarina anunciou o Programa de Inclusão Digital destinado às comunidades rurais.

                   O objetivo do projeto é oferecer internet banda larga e telefonia fixa às comunidades rurais e, com isso, promover o acesso de pequenos produtores aos recursos da tecnologia de informação. A experiência terá início em Chapecó e será estendida para outros 19 municípios.

Continue lendo: http://www.agrosoft.org.br/agropag/219571.htm


Reserva colabora para preservação da fauna e flora da Mata Atlântica

Reserva ajuda a preservar a flora e a fauna da Mata Atlântica em Alagoas. Lugar tem se tornando fonte inesgotável para pesquisas acadêmicas; onde mais de 600 espécies da flora foram catalogadas.

A natureza belíssima das paisagens da cidade de Coruripe, litoral sul de Alagoas, revela de um lado a Mata Atlântica e do outro o canavial. Neste local, durante séculos as plantações de cana avançaram pelo território que era da floresta. Hoje encontra-se fragmentada e dividida em pedaços, porém a mata ainda abriga tesouros preciosos da natureza, como o sítio do pau-brasil, que tem a importância reconhecida pelo mundo. Árvores centenárias que estão entre as mais antigas do país transformaram o pedaço da floresta em um posto avançado da reserva da biosfera da Mata Atlântica, título conferido pela Unesco, a organização das Nações Unidas para a educação, ciência e cultura.

Sendo assim, a vigilância é constante e necessária. Para guardar para sempre este patrimônio da natureza, a usina criou duas RPPNs, Reserva Particular do Patrimônio Natural, que têm 288 hectares de mata nativa.

A RPPN está completando 10 anos e têm se tornando uma fonte inesgotável para a realização de pesquisas acadêmicas. Pesquisadores de todo o país encontram no único fragmento de 219 hectares uma biodiversidade riquíssima que nem sequer imaginavam.

Esta reportagem faz parte da série especial preparada pelo projeto Globo Natureza em comemoração aos 11 anos das edições diárias do Globo Rural.

Continue lendo em:

http://g1.globo.com/economia/agronegocios/noticia/2011/10/reserva-ajuda-preservar-flora-e-fauna-da-mata-atlantica-em-al.html


III Mutirão Trilha do Pessegueirinho

Será realizado no dia 29/10/2011  com atividades previstas da construção de um portal e um parapeito próximo ao lago; Inscrições pelo blog  http://trilhapessegueirinho.blogspot.com

Ajude você também a embelezar a trilha do Campus, à qual é um importante vinculo de interação com a Comunidade Curitibanense!

 

 

 


Alface transgênico pode ajudar no diagnóstico de dengue

Uma pesquisa em parceria entre a Universidade de Brasília – UnB, a Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia e a Fiocruz pretende utilizar plantas transgênicas de alface para diagnosticar o vírus da dengue.  ideia é produzir um kit de diagnóstico mais econômico e eficiente para agilizar a detecção da doença pela rede pública de saúde no Brasil.

Continue lendo www.embrapa.br/imprensa/noticias/2011/outubro/2a-semana/alface-transgenico-pode-ajudar-no-diagnostico-de-dengue